Perfeição? Por Nívea Soares

Às vezes “assistimos” as pessoas como quem visita bichos no zoológico. Esperamos que estejam sempre bem dispostas e perfeitas aos nossos padrões.
Pessoas que não se encaixem nos nossos moldes de perfeição costumam nos incomodar profundamente. Manipulamos e somos manipulados num sistema corrompido, que cria valores que se baseiam apenas no egoísmo, expectativas humanas e nada mais.
Somos profundamente idólatras em nós mesmos. Buscamos constantemente tornar “divino” aquilo que é humano e mortal. Buscamos viciosamente manipular o que é divino e eternamente supremo. Somos viciados na autossatisfação e nos frustramos pelo vazio ainda maior que ela nos proporciona. Estamos perdidos em nós mesmos.
Mas graças a Deus pela graça! Graças a Deus por se revelar a nós através de Jesus, o Deus e homem perfeito, que veio para os imperfeitos, doentes e necessitados dele. Sobre ele, Deus falou através de Isaías: “Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações. Não gritará nem clamará, nem erguerá a voz nas ruas. Não quebrará o caniço rachado, e não apagará o pavio fumegante. Com fidelidade fará justiça…” (Isaías 42:1-4)
Nele, o homem Jesus, “não havia beleza alguma que nos atraísse”, mas diante da visão de sua glória e santidade, Isaías teve consciência de sua total imperfeição. João “caiu como morto” extasiado por tamanha beleza. Ele, o Deus e homem Jesus, foi manso e humilde de coração e ensinou que em seu Reino eterno só entrariam os que reconhecessem sua imperfeição e necessidade diante do Deus perfeito. Ensinou que felizes são aqueles que não se enquadram nas efêmeras caixinhas de perfeição deste mundo, sistema que cultua a futilidade e exalta o que é passageiro.
Ah, felizes são os pobres de espírito! Felizes? São os que choram, os que são mansos, famintos, sedentos por justiça e perseguidos! Ensinou que por seus próprios méritos e idéias distorcidas de perfeição o homem não poderia se achegar a Deus. Mas que aquele que nascesse de novo, da fé em Jesus, o Santo, o Perfeito, o Ungido, poderia entrar ousadamente na presença de Deus como filho gerado por ele mesmo!
Graças a Deus pela graça! Ele nos convida a entrar no seu Reino e ele mesmo nos torna aptos, santos e perfeitos como ele é. Isso é uma obra do seu Espírito Santo em nós. Não é mérito nosso. Por isso, que nenhum homem se glorie, se exalte diante de outros homens e muito menos diante de Deus. Nossa glória é a cruz de Cristo e os sofrimentos que nos identificam com ele. Nosso alvo e nossa recompensa eternos estão nele: Jesus. O eterno, aquele à partir do qual todas as coisas existem e são sustentadas. Nele está concentrada TODA a perfeição!

Texto por Nívea Soares, Post original: Ministério Nívea Soares

Citações para seu mês de outubro

Seguem aqui algumas citações para seu mês de outubro, se lembre de gastar bastante tempo com Jesus, mais do que em setembro, mais do que qualquer outro mês até entao. Ele deseja gastar tempo com você, e acredite isso vai mudar a sua vida!

  • Extraído do livro Revolução Moral por Kris Vallotton:
  • Não permita seu passado ditar o seu futuro. Não existe nenhuma circunstância que Ele não possa mudar, nenhuma condição imposta a você que Ele não possa vencer, e nenhum erro tão ruim ou pecado tão grande que Ele não possa restaurar você completamente!

  • Kris Vallotton:
  • Meus pensamentos são de pureza e eles formam cultura e valores pois eu tenho a mente de Cristo!

    Minhas virtudes treinam minhas atitudes, minhas atitutudes ditam minhas escolhas, minhas escolhas decidem meu comportamento, meu comportamento determina meu DESTINO.

    Se você falha em planejar, então você planejou falhar!

  • Heidi Baker:
  • Shika Baba

  • Jesus:
  • Se torne o que você acredita!

  • Patricia King:
  • Você sempre dá poder aquilo que você tem o seu foco.

  • Bill Johnson:
  • Eu não posso permitir-me de ter um pensamento em minha mente que não esteja na Dele.

  • Heidi Baker:
  • Eu sou um prisioneiro do amor. Eu entreguei minha vida por amor.

    Você precisa comer por uma nação, até que você esteja pingando Jesus!

    Porque eu odeio religião, mas amo Jesus. // Why I hate religion, but love Jesus.

    Este video está na internet por algum tempo, mas se você não viu ainda, tire um tempo para vê-lo.

    This video is on the internet for a while now, but if you haven’t watched it yet, take a time to do so.

    Cultura?

    O que é cultura? Na etimologia da palavra cultura significa, entre outras definições: um padrão integrado de conhecimento humano, de crença e comportamento que depende da capacidade por pensamento simbólico e aprendizado social. O dicionário Webster adiciona nesse significado: ‘a capacidade de aprendizagem e de ensino para suceder gerações; conjunto de valores, características do dia a dia’. Segundo a Wikipédia, cultura é ‘um sistema de símbolos compartilhados com que se interpreta a realidade e que conferem sentido à vida dos seres humanos’. Cultura é informação, isto é, um conjunto de conhecimentos teóricos e práticos que se aprende e transmite aos contemporâneos e aos vindouros. Cultura é algo dinâmico e não estático. Com as gerações mudanças são feitas através de acionamento de mecanismos adaptativos e cumulativos.

    Como então ‘culturalizar’ os conceitos de Jesus e Seu Reino, cultivar a cultura dos céus na terra? Eu quero fazer essa inserção! Somos embaixadores representantes de um Reino que a cultura é muito diferente das que são conhecidas na terra, nós carregamos conceitos, conhecimento e práticas do sobrenatural. Assim, fazemos história, influenciamos gerações e estabelecemos o Reino, assim como está escrito em Apocalipse 11.15: ‘…e houve no céu grandes vozes, que diziam: O reino do mundo passou a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.’

    Imagine a cultura sendo revestida de poder pelo Reino de Deus. Eu quero engajar nessa realidade de possibilidades infinitas. Eu quero ver o que foi destruído reconstruído, crianças restauradas para seus pais, e os pais para seus filhos. Nações debaixo do controle de Jesus, e livres da escravidão, livres da exploração sexual. Filhos e filhas andando com Deus Pai como reis e rainhas do Rei dos reis! Essa é minha cultura, é aí que estou direcionado!

    Basta à religião, que venha a verdade e o Reino da luz invadir a cultura.

    20120124-194842.jpg

    Daniel

    Seria muito difícil para mim, se eu escrevesse sobre outro assunto nesse meu primeiro texto aqui. No último ano eu tenho Daniel como um exemplo na minha vida. Eu fico perplexo e admirado dos padrões de Deus para nós ao ler os primeiros capítulos do livro de Daniel na bíblia.

    Daniel viveu em um período de caos para sua geração em Judá. Seus contemporâneos formavam uma nação corrompida por sistemas invertidos de valores e que não temiam a Deus. Quando ainda jovem ele sofreu exílio, todo o seu povo foi levado a Babilônia como servos e escravos de um rei bruto, egoísta – um verdadeiro narcisista: Nabucodonosor. Judá e Jerusalém foram dominadas por esse pagão. Os utensílios do templo do Senhor foram levados e tudo foi profanado pelo rei em seu palácio.

    Eu não vejo muito diferente dos dias de hoje. Os valores de Deus e de Cristo são banalizados e o governo não é muito diferente de então. Egocentrismo, violência e materialismo são apenas algumas das característica daquele reinado. E é nesse período da história que o jovem Daniel decide não participar dos valores babilônicos. Sua atitude é o maior indicativo que mesmo antes do exílio em Judá, ele permanecia e defendia seus valores e cultivava relacionamento com Deus.

    Quando Daniel foi levado a Babilônia, ele foi escolhido para ser educado na cultura dos Caldeus. Para posteriormente servir o rei no seu palácio. Ao se ingressar nessa escola, o jovem Daniel fez seu voto de pureza ao Senhor. Ele decidiu que não se contaminaria, não somente com manjares, e com a comida do rei, mas ele estava ali no primeiro capítulo do seu livro fazendo uma declaração de valores. Ele determinou em seu coração que nada, nem riquezas, nem pobreza, nem tristeza, nem alegria corromperiam os valores do Reino de Deus na sua vida. Foi uma aliança com Deus. Nessa caminhada, Daniel aprendeu a crescer. Foi concedido a ele favor entre os homens e Deus. E isso só lhe foi estabelecido por causa de seu compromisso e princípio de honra.

    Eu estarei escrevendo mais sobre Daniel, mas eu gostaria muito de desafiar você a conhecer mais sobre essa Cultura de Honra, esse princípio do Reino de Deus que você pertence. Ora, você é rei e sacerdote do Rei Jesus. Estou sugerindo que você cresça em domínio e em autoridade como Daniel. Siga essa restauração do Reino que nós pertencemos. Estarei postando nas próximas semanas sobre esse assunto e oro para que seja benção na sua vida! Venha Senhor o Seu Reino!

    Leia mais sobre a vida de Daniel, leia diretamente na fonte, leia o livro de Daniel na Bíblia.