2012 in review

The WordPress.com stats helper monkeys prepared a 2012 annual report for this blog.

Here’s an excerpt:

600 people reached the top of Mt. Everest in 2012. This blog got about 2,000 views in 2012. If every person who reached the top of Mt. Everest viewed this blog, it would have taken 3 years to get that many views.

Click here to see the complete report.

Perfeição? Por Nívea Soares

Às vezes “assistimos” as pessoas como quem visita bichos no zoológico. Esperamos que estejam sempre bem dispostas e perfeitas aos nossos padrões.
Pessoas que não se encaixem nos nossos moldes de perfeição costumam nos incomodar profundamente. Manipulamos e somos manipulados num sistema corrompido, que cria valores que se baseiam apenas no egoísmo, expectativas humanas e nada mais.
Somos profundamente idólatras em nós mesmos. Buscamos constantemente tornar “divino” aquilo que é humano e mortal. Buscamos viciosamente manipular o que é divino e eternamente supremo. Somos viciados na autossatisfação e nos frustramos pelo vazio ainda maior que ela nos proporciona. Estamos perdidos em nós mesmos.
Mas graças a Deus pela graça! Graças a Deus por se revelar a nós através de Jesus, o Deus e homem perfeito, que veio para os imperfeitos, doentes e necessitados dele. Sobre ele, Deus falou através de Isaías: “Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações. Não gritará nem clamará, nem erguerá a voz nas ruas. Não quebrará o caniço rachado, e não apagará o pavio fumegante. Com fidelidade fará justiça…” (Isaías 42:1-4)
Nele, o homem Jesus, “não havia beleza alguma que nos atraísse”, mas diante da visão de sua glória e santidade, Isaías teve consciência de sua total imperfeição. João “caiu como morto” extasiado por tamanha beleza. Ele, o Deus e homem Jesus, foi manso e humilde de coração e ensinou que em seu Reino eterno só entrariam os que reconhecessem sua imperfeição e necessidade diante do Deus perfeito. Ensinou que felizes são aqueles que não se enquadram nas efêmeras caixinhas de perfeição deste mundo, sistema que cultua a futilidade e exalta o que é passageiro.
Ah, felizes são os pobres de espírito! Felizes? São os que choram, os que são mansos, famintos, sedentos por justiça e perseguidos! Ensinou que por seus próprios méritos e idéias distorcidas de perfeição o homem não poderia se achegar a Deus. Mas que aquele que nascesse de novo, da fé em Jesus, o Santo, o Perfeito, o Ungido, poderia entrar ousadamente na presença de Deus como filho gerado por ele mesmo!
Graças a Deus pela graça! Ele nos convida a entrar no seu Reino e ele mesmo nos torna aptos, santos e perfeitos como ele é. Isso é uma obra do seu Espírito Santo em nós. Não é mérito nosso. Por isso, que nenhum homem se glorie, se exalte diante de outros homens e muito menos diante de Deus. Nossa glória é a cruz de Cristo e os sofrimentos que nos identificam com ele. Nosso alvo e nossa recompensa eternos estão nele: Jesus. O eterno, aquele à partir do qual todas as coisas existem e são sustentadas. Nele está concentrada TODA a perfeição!

Texto por Nívea Soares, Post original: Ministério Nívea Soares